terça-feira, 7 de junho de 2016

A Cor Purpura – Alice Walker



  A muitos anos atrás eu assisti um filme, pela minha idade na época não era um filme muito adequado, mais eu posso garantir pra vocês que se tem algum filme que me emocionou muito e até hoje se eu assisti me emociona e esse que está aparecendo ai no título, mais se engana quem pensa que e apenas um filme, uma coisa que eu não sabia e que eu descobri a pouco tempo foi que ele era baseado em um livro do mesmo nome, e é sobre ele que nós vamos conversar agora.

  O livro vai nos contar a história de Miss Celie, uma jovem negra que ainda nova começa a ser abusada pelo “pai”, acaba que esses abusos tem consequências, e por causa dessas consequências Celie tem medo que sua irmã Netti também venha sofrer abuso.

  Celie tenta proteger a irmã, mais chega uma hora que isso não e mais possível, existe um homem interessado em se casar com Netti, mais o pai diz que ela e muito nova e acaba mandando Celie no lugar.

  A vida de Celie, nunca foi muito boa, e depois do casamento ela tem que cuidar dos filhos do homem com quem se casou, ela tem que cuidar da casa, e ela tem que cuidar do marido, marido esse que acaba abusando e maltratando ela.

  O único conforme que ela tem chega de uma forma inesperada, o nome dela e Shug uma cantora que leva o que as pessoas poderiam dizer de vida fácil, mais que mexe com a cabeça do marido de Celie.

  Daí nasce uma amizade, e uma descoberta, Miss Celie, acaba se descobrindo, acaba saindo do casulo e aos pouco toma o controle da sua vida, a muitos anos atrás do SR, expulsou sua irmã, e quando ela tem a chance de encontrar ela novamente e quando ela está mais forte, e quando ela com a ajuda de Shug consegue lutar pela sua liberdade, ela abandona a casa, o marido e parti junto com Shug, para ter uma nova vida.

  Muitas reviravoltas acontecem na história, no começo do livro nós temos uma personagem fraca, submissa, já na metade do livro e quando nossa personagem começa a se tornar uma mulher mais forte e um pouco mais independente, e no final ela já tem controle pleno sobre sua vida, ela já não e mais aquela menina ingênua, agora ela já se descobriu como mulher.

  Devo confessar que o livro, não e o de uma historinha de amor, aqui nós podemos ter um mínimo de noção a respeito de como as mulheres era tratadas na época, de como um pessoa negra era tratada em relação aos brancos, não que hoje em dia nos não tenhamos essa noção, mais ler isso torna tudo diferente.  Quem puder leia o livro e não deixe de ver o filme.



Nenhum comentário:

Postar um comentário