terça-feira, 31 de maio de 2016

Cinder.


  Hoje em dia os contos de fadas já não são como eram antigamente, tínhamos o dos irmãos Grimm, onde a irmã malvada cortava um pedaço do pé para eu o sapatinho de cristal coube, tínhamos aquele em que a fada madrinha vinha toda saltitante e bum, transformava nossa gato borralheira em uma princesa, e agora nos temo Cinder.

  O mundo e um lugar diferente, as maquinas vivem entre nós, a Lua foi colonizada, e o povo que lá vive se tornou uma raça superior a nossa.

  O mundo mudou, e por causa disso muitas coisas aconteceram, Cinder, não e uma gata borralheira, mas sim uma mecânica, homens e maquinas se tornaram um só, a tecnologia evoluiu permitindo que humanos pudessem usar partes mecânicas, as pessoas que passavam por esse tipo de transformação era chamados de Ciborgues, e era isso que a nossa personagem principal era.

  O livro se passa em um tempo diferente do que nós vivemos, os líderes da terra se juntaram e formaram uma aliança, e a única coisa que pode ameaçar essa aliança e a Rainha da Lua, os seus habitantes evoluíram, e por causa dessa evolução eles acabaram tendo algumas habilidades que os terráqueos não possuem, como por exemplo poder manipular o que as pessoas da terra viam.

  Mais a rainha tinha um objetivo, se tornar Imperatriz na terra, para poder assim assegurar o trono na lua. Mais o Jovem imperador Kai tem outros planos, ele sabe que não pode se curvar para a rainha, e por causa disso ele busca a princesa perdida, aquela que pode acabar com as ameaças de guerras vindas da lua.

  Essa nova perspectiva que o livro traz de uma história que já foi contada diversas vezes e muito boa, uma maneira nova de ver uma história que para muitos não existia outra maneira de ser contada.

  Esse foi o primeiro livro da autora que eu li, e pra ser sincero me surpreendi muito, a escrita da autora fluiu, e a história me prendeu que eu não queria mais parar de ler, pra quem tiver interesse dever ler com certeza esse livro, e se você que já leu, diz nos comentários o que achou.


Nenhum comentário:

Postar um comentário