quinta-feira, 8 de junho de 2017

One Man Guy – Michael Barakiva


  As coisas nem sempre são fáceis, principalmente se você e um garoto armênio criado nos E.U.A, e mesmo assim tendo que seguir a cultura em que seus pais acreditam, mesmo você tendo vontade de conhecer coisas novas.

  As coisas para Alek nunca foram muito fáceis, depois de não conseguir entrar para turma especial como seus pais queriam, Alek ao invés de viajar com sua família nas férias de verão terá que ficar em casa e frequentar o curso de verão se quiser realizar a vontade dos pais e entrar para as turmas especiais da escola.

  Mais o que deveria ser um castigo aos poucos acaba se tornando uma coisa boa, Alek sempre teve vontade de conhecer Nova York, mais para os seus pais ele ainda era muito novo para visitar sozinho a “Grande Cidade”, mais isso não impedia que todo dia Alek parasse para ver o trem que seguia para a cidade.

  Mais em um desses dia algo diferente acontece, Alek tem um encontro inesperado com a turma de desistentes da escola, e se não fosse por um alguém especial Alek teria se dado muito mal.

  As aulas de verão acontecem monotonamente, mais tudo mudo quando Alek encontra em sala o desistente que ajudou ele, Ethan.

  Alek acaba se envolvendo aos poucos pelo charme que Ethan tem, e em um dia no caminho para a escola, tudo vai mudar na vida dele. Coisas inesperadas acontecem, Alek aos poucos deixa de ser o garoto armênio que os pais deixaram em casa para poder viajar, e passar a ser mais confiante de si próprio.

  Nesse livro nós podemos acompanhar não apenas a descoberta de Alek sobre as suas opções, seus desejos, seus medos, mais também podemos ver como e seu amadurecimento, como depois de alguns acontecimentos a relação ruim que ele tinha com seu irmão, acaba se tornando em uma “ótima” amizade.

  Independentemente da sua opção sexual, esse livro na minha opinião não e apenas um livro sobre um cara se descobrindo, mais trata do seu amadurecimento, um livro que todos deveriam ler.

Eu espero que vocês tenham gostado, até a próxima.


sábado, 26 de novembro de 2016

Gilmore Girls.



Nove anos se passaram desde que a ultima temporada foi exibida,assim como eu muitas pessoas devem ter acompanhado o crescimento a amadurecimento de Rory e Lorelai, assim como eu muitas pessoas viveram as primeiras experiências de Rory junto com ela.

  A nove anos atrás a serie tratava sobre o relacionamento de mãe e filha, Lorelai engravidou aos dezesseis, saiu da casa dos pais e foi ter uma filha e junto com ela independência, a serie nos mostra o tipo de relacionamento que Lorelai tem com sua filha, com seus pais, com os moradores da pequena Star Hollow, e com Luke o proprietária da lanchonete e quem mantém o nível de cafeína das nossas protagonistas.


Noves anos depois da ultima temporada, nos os fãs temos uma noticia surpreendente, a serie voltaria, e ela voltou, dessa vez nossas personagens estão um pouco mais maduras, Lorelai alcançou seu sucesso com a pousada, mais ainda existe algumas coisas que ela não conseguiu mais  eu posso dizer que com a chegada do outono ela vai conseguir.

  Nesses quatro episódios temos um outro tipo de amadurecimento, depois de cinquenta anos de casamento Emily perdeu seu parceiro de uma vida, e com isso as coisas
que antes tinha importância agora já não tem mais, ela passado do luto para uma fase mais feliz se e que nos podemos dizer isso, e quem faz isso de certo modo e quem nos pensávamos que serie mandada embora logo de cara, porque nos sabemos que ninguém nunca dura muito não e mesmo.

  E nos também temos Rory, a nossa menina dos olhos de ouro, sempre existiram muitas expectativas em torno dela, no seu ultimo episodio ela estava indo acompanhar a campanha presidencial do futuro presidente dos estados unidos, nos imaginávamos que nesse momento ela já seria uma jornalista requisitada por todos os jornais do mundo mais infelizmente não e isso que nos vemos.

  Com trinta e dois anos, Rory ainda não se realizou profissionalmente, e devo dizer que nem no amor ela conseguiu se resolver, muitas coisas acontecem nesses quatro episódios, vemos ela tentar dar um rumo na carreira, tocar um pequeno jornal, e começar a escrever sua própria historia.

  Na minha opinião durante os quatro episódios cada uma das mulheres Gilmore passa por alguma situação que nos faz ter um certo tipo de ensinamento, aprendemos como superar o luto por aquela pessoa que nós tivemos ao nosso lado por anos, aprendemos a superar a ausência de grandes amigos, e superar o medo de perder aqueles que nos restaram, aprendemos sobre as frustrações e como as expectativas que um dia tivemos e as outras pessoas depositavam em nos podem se tornar em um fardo que as vezes pode ser difícil de carregar.



Antes da estreia da seria, a criadora do programa disse que sempre teve o final da serie na cabeça, e que as ultimas quatro palavras que fossem ditas pelas nossas Gilmore preferidas iriam fazer a nossa cabeça dar um giro, e isso e totalmente verdade, serio, assim como aconteceu comigo depois do ultimo episodio da sétima temporada, depois que eu ouvi as ultimas palavras do episodio de outono eu fiquei pensando em como as coisas seriam agora, o que aconteceria, as possibilidades se tornaram incríveis e com certeza assim como eu outras pessoas que sabem quais são essas ultimas palavras estão nesse momento desejando que  a Netflix decida por produzir novos episódios para que nos famintos por café possamos saber o que acontece agora, como as coisas vão ficar em Star Hollow.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares - Ransom Riggs


  As coisas nem sempre são como parecem, era assim que Jacob pensava quando seu avô Abe lhe contava velhas historias a respeite de sua infância.

  O livro no primeiro momento narra a relação entre avo e neto, e as histórias que eram contadas, Abe quando criança tinha fugido dos nazista e acabou indo para no orfanato da Srta. peregrine, lá era o lar de algumas crianças um tanto quanto peculiares, existia a menina que podia levitar, a mulher que se transformava em ave e muitos outros.
  
  Mais cansado de se esconder no orfanato, Abe decide lutar na guerra e ir embora, e é isso que acaba fazendo toda a história acontecer, depois de lutar na guerra, e já com uma certa idade os filhos que Abe teve acham que ele já não está mais tão lucido quanto antes, o único que parece não acreditar muito nisso e seu neto, Jacob, e é em torno dele que o livro gira, Jacob perde o avo de uma maneira trágica, e como uma forma de superar isso nada melhor do que conhecer a origem de seu  avô, Jacob junto com seu pai vão para a ilha onde o orfanato existiu, Jacob tem a esperança de conseguir alguma pista sobre seu avô, alguma coisa que possa fazer com que ele compreende o melhor.

  Ele vai até a antiga casa onde era o orfanato, e acaba descobrindo uma pista sobre o que aconteceu no passado, mais enquanto ele estava na casa aparece uma “visita”, uma das crianças da foto está lá, ele vai atrás dela, e de uma maneira um tanto quanto peculiar, ele acaba descobrindo que todas as histórias de seu avô eram reais.
  
  Ele acaba descobrindo que tudo era real, inclusive o que ele tinha visto no dia que seu avô morreu, assim como as crianças, assim como seu avô, Jacob também e peculiar, sendo o único com habilidades, para enxergar os monstros que estão atrás das crianças, ele acaba se envolvendo nos acontecimentos.


 


E   por causa desse envolvimento Jacob tem que ajudar a criança, mais para poder realizar essa ajuda ele tem que partir, ele tem que ir em uma jornada que nós só vamos poder acompanhar no próximo livro.

  Eu espero que quem ainda não pode ler esse livro de uma chance, o livro foi escrito de uma maneira fácil, muito gostosa de ser lida, e na maioria das vezes que um personagem e apresentado ou que está acontecendo alguma coisa em que o autor da muitos detalhes eles colocam uma foto para que nós os leitores possamos deixar nossa mente viajar pela história.

  
  Eu espero que vocês tenham gostado, e se gostaram deixe aqui nos comentários o que achou.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Independência ou Morte?



  Nesta mesma data no ano de 1822 um monarca português dava um grito, Independência ou Morte, e depois de cento e noventa e quatro anos nos vemos o resultado dessa atitude.

  Não e bem o resultado que a maioria do Brasil gostaria, mais infelizmente ou felizmente e a que nos temos, eu vi um desses vídeos do facebook, em que uma mulher dizia que não são apenas os políticos que são a matéria prima ruim, todos nos somos, e por que isso, por causa do nosso jeitinho brasileiro de ser.

  Nesses anos de independência que tivemos, pudemos experimentar um pouco de tudo, a abolição da escravidão, a luta pela igualdade entre homens e mulheres, direitos civis conquistados para todos o direito ao casamento independente do seu sexo, mais também tivemos coisas ruins, a ditadura, a época em que a inflação estava tão fora de controle, que o que você comprava com um determinado valor, dali cinco minutos você já não conseguia comprar mais.

  Mais a única outra opção que nos tinha sido dada, era a morte, e por mais que nos tenhamos passado por momentos ruins, a morte não era uma opção, foi melhor termos vive dos a independência aos trancos e barrancos do que a morte, sem poder ter vivido nada disso.


 Se vocês pudessem escolher uma das duas, qual seria.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Lançamentos do Cinema de Setembro

Tô Ryca
Estreia: 22 de Setembro de 2016
Sinopse: 
A dura vida de frentista pode estar com os dias contados para Selminha (Samantha Schmütz). Tudo porque ela pode pôr a mão em uma herança. Mas para isso, seu tio estipula um desafio. Selminha tem de gastar R$ 30 milhões em 30 dias. No entanto, nessa corrida contra o tempo, a frentista precisa fazer isso em segredo e não juntar itens comprados. Se conseguir, ela ficará com a herança de R$ 300 milhões.
A minha primeira aposta para os cinemas desse mês vai ser uma comedia, o filme conta a história de uma mulher que sempre teve pouco na vida, mais as coisas podem mudar, com a chance de colocar as mãos em uma fortuna como herança, Selminha tem uma missão, gastar trinta milhões de reais em trinta dias, será que isso vai ser fácil. O que você faria para conseguir gastar trinta milhões de reais.

O Lar das Crianças Peculiares

Estreia: 29 de Setembro de 2016
Sinopse:
Do visionário diretor Tim Burton, e baseado no romance best-seller, chega uma experiência cinematográfica inesquecível. Quando seu querido avô deixa para Jake pistas sobre um mistério que se estende por diferentes mundos e tempos, ele encontra um lugar mágico conhecido como ‘O Lar das Crianças Peculiares‘. Mas o mistério e o perigo se aprofundam quando ele começa a conhecer os moradores e aprende sobre seus poderes especiais… e seus poderosos inimigos.
E agora viajando no mundo sobrenatural, temos esse filme, que se for tão bom quanto o livro significa que será incrível, o filme vai acompanhar Jack que depois que perde seu avô, resolve buscar pistas sobre o passado dele, vai junto com seu pai para o lugar onde seu avô viveu quando era criança, ele busca encontrar o orfanato da senhorita peregrine e assim descobrir um pouco mais sobre seu avô, mais as histórias que ele ouvia, chegando nesse lugar ele vai descobrir que elas não são apenas isso, o que ele achou que fossem apenas historias, bem isso vocês vão ter que descobrir, talvez no mês de setembro esse seja o filme que eu estou mais ansioso para poder assistir, diz ai qual vocês estão querendo ver.


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Obsidiana - Jennifer L. Armentrout


  Primeiramente eu queria pedir desculpas por ficar tanto tempo sem postar, mais finalmente a ressaca passou, e graças a deus foi com esse livro, que sinceramente me faltam palavras para descrever.

  O livro nos conta a história de Kat e sua mãe, que após um tempo depois da morte do seu marido, decide recomeçar sua vida em uma nova cidade.

  Kat, uma leitora apaixonada por livros e autora de um blog, sim uma blogueira, vive para seu blog e seus livros, assim como sua mãe vive para o trabalho, até que eles vão para uma cidadezinha, onde nada acontece, um lugar onde todo mundo conhece todo mundo, uma cidade onde as pessoas são todas hospitaleiras, bom quase todas.

  Incentivada pela sua mãe Kat vai até a casa dos seus vizinhos, com a ideia de talvez fazer alguns amigos da sua idade, mais quando o deus grego vulgo Daemon abre a porta ela fica sem palavras, mais quando Daemon abre a boca Kat chega a perder por um tempo toda e qualquer esperança.

   Mais nem tudo e um pesadelo, para sorte de Kat Daemon tem uma irmã, que parece bem mais propensa a ter algum tipo de amizade, mais essa amizade vai depender se o irmão turrão vai deixar.

  Não entendam mau, mais Daemon não e turrão sem motivo, ele apenas está tentando proteger sua irmã, no começo nós não conseguimos entender isso muito bem, mais eles vão dando algumas pistas de que escondem um segredo, e em determinado ponto do livro dos também descobrimos o motivo.

  Daemon e sua irmã, não são desse planeta, e pra viverem aqui eles têm que se manter em segredo, porque assim como eles estão aqui outros também estão, e alguns desses querem a todo custo colocar as mãos em Daemon e sua irmã e todos que são iguais a eles.

  Já faz um tempo que nenhum livro me prende de tal maneira como esse aqui, esse livro tem um pouco de tudo, tem romance, tem coisas sobrenaturais, e tem uma pitada de humor ácido, o que acaba nos deixando com um gostinho na boca de quero mais, o livro acaba de uma maneira surpreendente, eu sinceramente esperava que esse acontecimento tivesse ocorrido antes, mais eu mal posso esperar para pegar a continuação e saber como as coisas vão ficar.

  Quem ainda não leu, não sabe o que está perdendo, se você tiver a possibilidade de ler, vai, mergulha na história e deixa se envolver com os personagens.

PS: o Daemon pode parecer um babaca, mais dá uma chance pra ele ok.


segunda-feira, 27 de junho de 2016

Medo Bobo


 
Sim eu sei que eu sumi, mais como diz o titulo às vezes nos temos um medo bobo, se você esta aqui lendo esse texto da um play na musica que esta ali em baixo, porque foi por causa dela que hoje eu estou aqui escrevendo isso.

  Na nossa vida nos temos vários tipos de medos, alguns reais outros imaginários, alguns medos mais sérios outros medos que nos podemos chamar de medo bobo, eu poderia vir aqui e dizer do que eu tenho medo, mais na verdade nem eu mesmo sei, na verdade o medo que eu tenho e o medo de me frustrar.

  Eu acredito que a maioria já passou por isso em algum momento da vida, e nesse momento eu estou passando por isso, nas ultimas semanas as coisas meio que viraram um turbilhão de emoções.

  As coisas têm mudado de uma maneira que eu nunca imaginei uma coisa que hoje pela manha estava normal, amanha já pode ter virado de ponta cabeça, e eu digo isso por experiência própria.

  Medo nos sempre teremos, mais somos nos que devemos decidir se ele vai nos parar ou se iremos continuar em frente, o medo de me frustrar me fez parar de fazer o que eu gosto, mais agora eu decidi continuar.
  
E você já teve algum medo  bobo.




terça-feira, 7 de junho de 2016

A Cor Purpura – Alice Walker



  A muitos anos atrás eu assisti um filme, pela minha idade na época não era um filme muito adequado, mais eu posso garantir pra vocês que se tem algum filme que me emocionou muito e até hoje se eu assisti me emociona e esse que está aparecendo ai no título, mais se engana quem pensa que e apenas um filme, uma coisa que eu não sabia e que eu descobri a pouco tempo foi que ele era baseado em um livro do mesmo nome, e é sobre ele que nós vamos conversar agora.

  O livro vai nos contar a história de Miss Celie, uma jovem negra que ainda nova começa a ser abusada pelo “pai”, acaba que esses abusos tem consequências, e por causa dessas consequências Celie tem medo que sua irmã Netti também venha sofrer abuso.

  Celie tenta proteger a irmã, mais chega uma hora que isso não e mais possível, existe um homem interessado em se casar com Netti, mais o pai diz que ela e muito nova e acaba mandando Celie no lugar.

  A vida de Celie, nunca foi muito boa, e depois do casamento ela tem que cuidar dos filhos do homem com quem se casou, ela tem que cuidar da casa, e ela tem que cuidar do marido, marido esse que acaba abusando e maltratando ela.

  O único conforme que ela tem chega de uma forma inesperada, o nome dela e Shug uma cantora que leva o que as pessoas poderiam dizer de vida fácil, mais que mexe com a cabeça do marido de Celie.

  Daí nasce uma amizade, e uma descoberta, Miss Celie, acaba se descobrindo, acaba saindo do casulo e aos pouco toma o controle da sua vida, a muitos anos atrás do SR, expulsou sua irmã, e quando ela tem a chance de encontrar ela novamente e quando ela está mais forte, e quando ela com a ajuda de Shug consegue lutar pela sua liberdade, ela abandona a casa, o marido e parti junto com Shug, para ter uma nova vida.

  Muitas reviravoltas acontecem na história, no começo do livro nós temos uma personagem fraca, submissa, já na metade do livro e quando nossa personagem começa a se tornar uma mulher mais forte e um pouco mais independente, e no final ela já tem controle pleno sobre sua vida, ela já não e mais aquela menina ingênua, agora ela já se descobriu como mulher.

  Devo confessar que o livro, não e o de uma historinha de amor, aqui nós podemos ter um mínimo de noção a respeito de como as mulheres era tratadas na época, de como um pessoa negra era tratada em relação aos brancos, não que hoje em dia nos não tenhamos essa noção, mais ler isso torna tudo diferente.  Quem puder leia o livro e não deixe de ver o filme.